18 Fevereiro, 2020

Diretoria do Sindsul rebate apresentador que chamou paralisação de “Pataquada”

O sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia (Sindsul), realizou na última terça-feira, 06 de junho, uma paralisação, ato que é previsto por Lei Federal, onde cerca de 500 funcionários públicos foram de forma pacífica até o paço municipal, mais precisamente em frente ao gabinete da prefeita Rosani Teresinha Donadon e cobraram respostas sobre os itens da Pauta de Reivindicações, aprovada em Assembleia pelo Sindicato.

Logo após as negociações junto à administração, o que resultou na promessa da prefeita de correção salarial dos servidores para o mês de agosto, diversas matérias foram publicadas nos meios de comunicação da cidade. Entre elas, uma onde um apresentador local classifica a manifestação como “pataquada, infantil e zoação”. O âncora questionou ainda que, a PAUTA DE REIVINDICAÇÕES, não havia sido divulgada.

Na manhã desta quinta-feira, o presidente do Sindsul, usou seu direito de resposta e rebateu o apresentador. “É uma inverdade dizer que não foi amplamente divulgada na mídia local a pauta de reivindicações ou mesmo que não nos reunimos com a prefeita e com secretários para apresentar as propostas. Inclusive, a prefeita até foi ao Sindicato para tratarmos sobre o assunto”.

Quanto aos gritos de “Fora Temer e Fora Dilma”, veja bem, éramos quase 500 pessoas e eu penso que o servidor tem o direito de se manifestar, declarou Wanderley Ricardo Campos. Vale lembrar que a prefeita milita pelo mesmo partido que o presidente da república.

Vale lembrar também que a ditadura militar já foi há muito tempo e hoje temos a liberdade de ir e vir e o direito a liberdade de expressão. Estávamos exercendo nossos plenos direitos garantidos pela Constituição Federal se incomodamos alguém esse era nosso objetivo e foi alcançado.

Assessoria

About The Author

Related posts

1 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *